terça-feira, 8 de julho de 2008

Já li na Helen, na Mi e na Bruninha posts sobre a tragédia que aconteceu aqui no RJ.

Falei em nó na garganta. Mas é pouco. Porque tenho essa coisa de me imaginar na situação das pessoas. E me imaginei como mãe do menino de três anos, tendo o carro metralhado, jogando a bolsa, numa última atitude desesperada, para mostrar que era só uma família ali dentro. Me imaginei como o irmãozinho do menino, que, apesar de bebê, vai levar isso pro resto da vida; como o pai, em frente ao hospital, andando pelas ruas e gritando que mataram o filho dele, que só tinha três anos. E como o próprio menino de três anos, sentindo tudo ir embora, sem entender o porquê.

É óbvio que os policiais foram incompetentes, negligentes, precipitados. Mas agora queria mudar um pouquinho de foco dessa discussão. Tirar o foco dos policiais que atiraram no carro e fazer toda minha raiva e indignação recair na instituição.

Gente, esses policiais tomaram essa atitude desastrosa porque eles não recebm um mínimo de treino e preparo para o trabalho deles. Eles fazem um concurso bosta pra receberem um salário de fome e já têm uma arma na cintura, e já sobem no morro, e não sabem quando atirar ou quando parar.

9 comentários:

Titi disse...

Nem sei como explicar onde começa o problema.
Mas a minha indignação tá aqui gritando...e a tristeza também...

Naraiana Costa disse...

Nem fala viu... A palavra é realmente indignação. Nãos ei onde vamos parar com tamanho despreparo.

Diego Gonçalves Amaral disse...

vou tentar ver friamente ... esses policiais não têm treinamento nem salário adequados... a "defesa" deles é atirar, acabaram fazendo c@g@d@!

Triste!

bj

Diego Gonçalves Amaral disse...

ficou massa o logo, tu merece!


ps.: [se tu quiser o cod que enviei ele está com uma caixinha link me, para as passoas colocarem o logo no blog delas]


bj

Olly disse...

Amore,

concordo com vc. O buraco é mais embaixo... Mas há de se punir os culpados, porque erros acontecem, mas erros que levam a vida de alguém embora merecem, por outro lado, serem punidos... Por isso a minha indignação. Minha indignação é contra o sistema todo, e não apenas com um "erro" de dois cabos despereparados... Se são despreparados, não devem carregar fuzis, não concorda?

Beijos flor....

Olly disse...

Flor, passa lá nio blog!!!! Novidade!!!!

Ingrith disse...

Infelizmente eles não sabem quem é bandido e quem é cidadão de bem, então é mais fácil (por despreparo) nivelar por baixo, todos bandidos... Sinto péssima pela mãe, ela como um animal sendo caçado, tentando mostrar ao caçador que estava com os filhos...

Madamice disse...

É isso mesmo, Rê.
O choque pelo que aconteceu é tão grande que o grande problema fica em segundo plano. Não eram policiais enlouquecidos que simplesmente decidiram atirar em um carro. Era uma perseguição a criminosos, como centenas de outras, que, infelizmente, acabou nessa tragédia.
O despreparo dos policiais tem se mostrado gritante, mas o número de bandidos é ainda mais.

beijo pra vc :)

Ana disse...

a gente fica sempre muito triste, mas acusar tão rapidamente os policiais, sem pensar nas condições de trabalho deles, isso tb não pode... Nem todo policial é bandido, não. Imagino o que é trabalhar assim, sem preparo, correndo o risco de levar bala de bandido todo dia, sei lá, eu não qqueria estar na pele deles. Imagina se fossem mesmo bandidos no carro, seriam eles a estatística hoje, e não o pobrezinho do menino. Eu só culpo mesmo são os governantes desse país, todos eles, os que estão aí e os que deixaram a coisa chegar nesse ponto.