sexta-feira, 14 de março de 2008

Gente, sobre o meu declarado medo de envelhecer, preciso registrar que, óbvio, eu quero envelhecer. A alternativa para não envelhecer não me agrada.

Quero deixar claro também que meu medo não é ter rugas ou fios brancos.

O que eu não quero é ficar dependente de qualquer pessoa que seja: filhos, irmão, marido, cunhada, acompanhantes de velhinhos.

Porque pensar que posso precisar de alguém pra tomar um banho me faz prender a respiração.

Falo isso porque tenho minha avozinha. Tem 86 anos. Fraturou o fêmur há 3. Desde então ela não anda mais. Não consegue ler ou ver televisão porque os olhos já não funcionam direito.

Ela acorda esperando anoitecer, para dormir de novo.

Isso dói. E doeu muito mais quando, enquanto conversávamos, ela se lamentou porque foi o vizinho que morreu, e não ela.

9 comentários:

Renata disse...

é disso que eu tenho medo tb, depender dos outros é muito ruim!!
E tadinha da sua avozinha, dê muito carinho pra ela, todo mundo merece ter o finalzinho da vida cercado das pessoas queridas.
A minha avozinha tem 88 anos e mora no litoral aqui de SP. Acredita que ela já está com uma malinha arrumadinha pra vir pra SP quando o meu bebê nascer?? Coisa mais fofa, né??
Ops, me empolguei!
beijoca, Re

Ice Ice Baby disse...

putz...q barra!

eu axo q se não tem graça, não faz! e isso se aplica à vida tb...mas como eu sou contra suicídio..só me resta arranjar algo de bom pra curtir na minha velhice!

Ingrith disse...

tb morro de medo...

Heber disse...

renata, isso que vocêe disse é realmente triste: acordar para esperar anoitecer e dumir denovo. =///

Qual o significado disso? Nascemos sem nenhum terino e depois que parece tudo já sábido, a vida nos mantêm para que?

De onde vc fala?

Ah. E qt a msg, sinta-se a vontade para usar e abusar! Correntes Sux!

Ana Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Barros disse...

Não quero dar uma de Polyana, e sei que deve ser muito difícil para ela e para vocês da família, mas a vida me ensinou que as coisas sempre poderiam ser pior... Tenho uma tia com Alzheimer, que já perdeu a consciência há tempos, não se comunica com mais ninguém, e vive internada, se alimentando por soro. É uma barra mesmo.
Pelo menos você ainda pode contar histórias para a sua avozinha, presenteá-la com uma flor bem perfumada e colorida, conversar com ela e fazê-la sorrir.
Bjos

Bella disse...

meu medo é exatamente o msm do seu re, mas confesso q rugas e cabelos brancos tb não me atraem não. na velhice, pior do q depender dos outros é ainda por cima, não ter com quem contar... tanta família q abandona seus velhinhos né? dá um dó... e um mega medo tb.
bjs

Elise disse...

Nossa, quando eu ficar velha, quero ser sacrificada que nem cavalo quando quebra a pata....

As partes interessadas disse...

é, rê, não é fácil... minha avó tem 93. usa fralda, não reconhece mais a gente, vive num mundo à parte... é tão triste!