quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Eu lembro das mágicas do meu pai e dele tirando moeda da minha orelha. Lembro que meus avós moravam na roça e me apertavam demais quando eu chegava lá. Eu fazia cara feia, mas juro que gostava. Lembro da minha mãe brigando comigo depois de uma guerra de farinha de trigo molhada com minha amiguinha no quintal de casa. E me dando banho de mangueira depois. Lembro de procurar ovinhos de Páscoa pela casa e achar mesmo que foi o coelhinho que escondeu. Lembro do trato que fazia com meu irmão de dividir igualzinho os chocolates, não importando quem achou mais. Lembro que o “coelhinho” sempre separava os dois chocolates mais gostosos e colocava um na minha gaveta e outro na do meu irmão. E eu não entendia como ele sabia qual era o nosso chocolate preferido. Lembro da ansiedade pelo presente de Papai Noel, mas, por conta do medo que eu tinha dele, lembro também de ficar com os olhos fechados até ouvir alguém acordar e enfim poder abrir meu presente. Lembro que adorava pega-vareta, minha Bem-Me-Quer de cabelo azul e a lata de bolinhas de gude do meu irmão. Depois eu tive uma. Só minha. Lembro que um dia, depois de dormir na casa da minha avó, ela perguntou se eu queria chocolate no café da manhã e eu disse que sim, imaginando um sonho de valsa, mas era chocolate quente de beber. Talvez uma das maiores frustrações da minha infância. Lembro de papai me ensinando a ler e de mamãe costurando. Lembro de papai me buscando de bicicleta na escola e dele tentando me convencer a comer feijão. Lembro de minha avó dizendo que meu estômago ia “colar” porque eu não comia nada. Lembro do sacolé que mamãe fazia. Lembro de papai contando a história das três fadas pra eu dormir, que ele mesmo inventou: a do vestido azul, a do vestido amarelo e a do vestido rosa.


Comecei a escrever depois que a Mi e a Bruninha pediram pra eu falar um pouco sobre minha infância. Na verdade, era uma brincadeira com perguntas definidas. Mas achei assim tão mais gostoso! Poderia ficar até amanhã lembrando de mais um monte de coisa. Mas eu juro que vou começar a chorar.

8 comentários:

Olly disse...

Amei! Amei! Amei! Ficou lindo!!!!!

beijos

fabiana disse...

Minha avo inventava historias tambem, e semre tinha uma personagem com o meu nome! Eu adorava!

helen disse...

ah, que lindo...


Re, vc comprou aquele produto noturno da Kerastase, né? O resultado vale o $$$ do investimento?
bjkk!

Milena disse...

Que lindo Rê!!! Quase chorei daqui tb! Vc é uma fofa! E teve uma infância GOSTOSA!!!!

Beijos Querida!

Cinthya Rachel disse...

adoreiiiiiiiii! e eu sempre tomava banho de mangueira na casa da minha vó!

Renata disse...

que delícia esse post...eu tenho tanta saudades de tantas coisas da infância. Tão bom ficar lembrando, né?
beijoca

Ice Ice Baby disse...

é bom começar a lembrar dos momentos felizes e principalmente dos q nos amam tanto...

muito bonitinho o post mesmo!!!
:-)

bjs chuchu

Diego Gonçalves Amaral disse...

nossa! muito tri... fiquei parado pensando na minha história...

a propósito da sua pergunta lá no blog, tá tudo bem sim, o texto foi apenas a título de poema!

beijo