quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Um problema que me angustia é a falta de certeza sobre minhas escolhas. Desde a escolha sobre a carreira até sobre as pessoas que devo manter em minha vida e aquelas que devo manter uma distância de pelo menos 100 quilômetros.

E o problema só aumenta ao me surpreender e descobrir que não sou mais criança ou adolescente, quando quase tudo tem chance de ser recomeçado. Porque quando me lembram que já sou adulta é sempre um susto que eu levo.

Seria tão prático se a cada decisão que tomássemos uma luzinha verde se acendesse, caso fosse a certa. Errada: pisca a vermelha. Aí talvez desse tempo de correr atrás do prejuízo.

9 comentários:

Cinthya Rachel disse...

tô me sentindo assim tb. escolher é muito difícil. e sempre me espanto qdo lembro que já tenho quase 30.

Drica disse...

então estou no mesmo barco, tbm com quase 30 e com algumas escolhas importantes pra fazer....e a incerteza é mesmo um grande problema, ehehhe...

As partes interessadas disse...

nossa, essa luzinha seria um achado. eu ia ter dúzias de luzinhas, uma em cada canto por onde costumasse passar. é, é melhor ser prevenida, né? vou dar chance pro azar? de jeito nenhum!

Ingrith disse...

Ohhhhhhh como a vida seria mais pratica...

Renata disse...

Ai Re, isso tb me angustia muito...e acho que não tem solução. Temos que escolher, as vezes acertamos, as vezes erramos (e sofremos, claro), mas vai ser assim pra sempre.
Boa sorte!

Diego disse...

uma decisão errada, isoladamente até que não é o problema, o problema é o que esta decisão gera!

somo todos errantes =)

• Mel • disse...

Realmente tudo seria fácil se tivéssemos a certeza que estávamos tomando a decisão certa. Mas será que teria graça?

Helen disse...

É nome de filme do richard gere, mas é a pura verdade: cada escolha, uma renúncia... rs. Mas, olha, tem uma coisa que eu sempre tento manter em mente: nada é definitivo. Nem o que é bom e muito menos o que é ruim. Isso de permanência é uma ilusão. Uma coisa em que a gente quer acreditar pra se sentir mais seguro, mas que no fundo, não existe. Tudo pode mudar, Rê, independente da nossa vontade. Dá muita ansiedade saber disso - eu garanto rs - mas também alivia um pouco a pressão de achar que não dá pra consertar, né? Sempre dá ;)

beijo!

Renata R. disse...

Cinthy, não assusta?

Drica, as luzinhas seriam tudo, né?

Jana, prevenção é tudo!

E como, Ingrith!

Rê, pra você um beijo pela notícia de hoje! :*

Diego, é isso que me angustia. O que eu decidir hoje vai repercutir pra sempre.

Mel, não sei se teria graça, mas que seria mais seguro, isso seria! :)

Helen, querida, queria que você fosse minha vizinha. Pra eu bater na sua porta e conversar horas com você. :*