terça-feira, 11 de novembro de 2008

Estávamos aqui no trabalho conversando sobre aquele papo manjado de pagamentos de conta em restaurantes.

Como somos todas mulheres bem resolvidas e independentes (olha só o peito estufado. hohoho), falamos de imediato pros meninos que óbvio que fazemos questão de pagar nossas contas.

Mas isso até certo ponto. Porque acho que às vezes essa atitude pode constranger outras pessoas que querem simplesmente fazer uma gentileza. Pode até chegar a ser deselegante, vocês não acham?

Ser independente é ótimo, mas acho que independência não exclui algumas atitudes mais “mulherzinhas”.

Eu e o namorado adotamos a linha de que “rachar conta é horrível”. Tem casal que só falta pegar a calculadora pra calcular os centavos. Não dá, né? Então às vezes eu pago, às vezes ele paga, sem nos preocuparmos se as contas estão equilibradas ou outras mesquinharias. E rola bom senso também, né? Se vamos a um restaurante e eu peço bife com batata fritas e ele, caviar com champanhe, é óbvio que a conta é dele.

Mas em data de aniversário de namoro, por exemplo, eu nunca vou me oferecer pra pagar a conta. Nunca. É a minha porção mulherzinha.

Aí lembramos dos homens pão-duros. Isso porque uma amiga falou que ia viajar com o namorado e ele deu a indireta que ela deveria encher o tanque do carro. Claro que ela se ofereceria para pagar. Mas o fato dele ter falado antes fez melar a viagem antes mesmo de irem para a estrada.

Eu odeio com todas as minhas forças homem pão-duro. Acho que tá na lista das coisas que mais odeio na vida. Na verdade, odeio homem e mulher. Mas, as feministas que me perdoem, acho que no homem fica muito pior.

8 comentários:

Ice Ice Baby disse...

gentileza é uma coisa e mesquinharia é outra...


quer pagar? pague, mas me deixe ser gentil com vc qd eu quiser tb né?!!

bjs chuchu

Renata disse...

eu tb odeio gente pão dura, homem e mulher. Eu e o maridão sempre fizemos como vcs, uma hora um paga, outra hora outro paga, sem nenhum problema...mas tenho casais de amigos (já casados), que ainda dividem a conta, um não sabe quanto o outro ganha...racham restaurantes, viagem e até as contas de casa contando até centavos.
Sério, não consigo entender. eu heim!!!
beijocas

Diego Gonçalves Amaral disse...

tem dias que tudo pode, tem dias que tudo deve... equilibremos e não existirão rusgas!

bjs

Andréa Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréa Ramos disse...

Concordo plenamente.
Qdo namorávamos era assim:
Eu bancária,fofinha,charmosa,porém bancária.
Ele:banqueiro de jogo de bicho,bem fofinho tbm.
Tava na cara que ele tinha que pagar a conta né,pelo amor.
Qdo virei mamy,parei de trabalhar e ele continuou pagando tudo.
Não me lembro de ter passado por nenhum constrangimento por conta disso.
Maridão é MARA nesse quesito.
Beijos Rê.

Elise disse...

Aff, sou moderna não...homem pão-duro, comigo não se cria. Eu sempre trabalhei e me sustentei, mas esse negócio de contar centavos...dá não.
Eu pago amarradona, mas mesquinharia não dá. Aqui nosso dinheiro é tão misturado, que não dá pra saber o que é de quem.

Ingrith disse...

Eu ultimamente nao pago nada, a não se que eu comece a namorar e ai depois de um bom tempo de namoro a gente comece a dividir as despesas... por enquanto tem que me bancar...

Ah e meu vizinho super educado que faz compras e deixa a mulher carregar as coisas mais pesadas e ele fica dentro do carro esperando?

fabiana disse...

Eu ajudo na conta às vezes, mas, ele não gosta!
Não vejo problema em ajudar, na verdade, me incomoda se o homem paga sempre tudo.

O lance das datas é bem válido néam? Nem me incomodo com a conta, mas, também não exagero!